T75 - setembro 22
Dois cafés & a conta

T

Com uma visão inovadora
Em 2007 lançavam já a primeira coleção com vertente de sustentabilidade
De olhos no futuro
Em 1998, todo o planeamento e controle de produção da empresa estar já informatizado
Aos 75 anos a A. Sampaio mantém os olhos no futuro

A A. Sampaio & Filhos sempre foi uma empresa à frente do seu tempo, com uma permanente visão de futuro. António Sampaio, o fundador, não seria propriamente um visionário, era antes um homem meticuloso, organizado e prevenido.

C
C

om 75 anos completados este ano, coincidindo com as 75 edições do T, a A. Sampaio & Filhos sempre foi uma empresa à frente do seu tempo, com uma permanente visão de futuro. António Sampaio, o fundador, não seria propriamente um visionário, era antes um homem meticuloso, organizado e prevenido. “Tive ainda oportunidade de conviver com o meu avô aqui na empresa e vi a coragem de investir em contraciclo. Dizia que quando as coisas melhorassem já estaríamos preparados para o que os clientes pedissem, tinha essa preocupação, essa visão dinâmica de antecipar o futuro”, conta Ana Furtado, uma das representantes da terceira geração à frente dos destinos da empresa. Outro é o primo João Mendes, e ambos dão conta dessa postura de vanguarda que sempre foi a imagem de marca da empresa.

Como exemplos, apontam o facto de ainda antes da viragem do século, em 1998, todo o planeamento e controle de produção da empresa estar já informatizado, numa altura em que a digitalização das empresas não era ainda sequer um sonho. “Hoje, com mais de 60 mil artigos e mais de 200 máquinas, é inevitável”, compra João.

Também já em 2007 lançavam já a primeira coleção com vertente de sustentabilidade, quando isso era então um pormenor sem qualquer importância. “Algodão orgânico? Ninguém queria saber, o que interessava era se era bonito ou feio, suave ou áspero, barato ou caro”, relembra Ana, com o primo a destacar que a prioridade da A. Sampaio sempre esteve focada no produto, na qualidade e na inovação. 

“O conceito de caro ou barato é hoje uma ilusão. Barato é o cliente receber o produto que escolheu, com qualidade, no prazo combinado e no local escolhido”, atalha João Mendes, destacando a importância da rastreabilidade, tanto das matérias-primas como da produção. 

“Hoje a malha já não é de algodão, é de cristal. É transparente e completamente rastreável, identifica a origem e como é processada, não há surpresas”, descreve dando conta de que às mais diversas certificações a empresa junta a RWS, que garante não só a rastreabilidade da lã desde a origem, mas também as condições de bem-estar animal, condições sociais e restrições o processamento.  

Mas Ana Furtado recorda que já nos anos 90, quando a generalidade dos comporadores não sabiam sequer a origem do produto, o seu avô fazia questão de receber os clientes na fábrica. “Foi em 1997, para assinalar os 50 anos da empresa, que inaugurou o showroom para receber clientes com coleções próprias. Um espaço conceptual, com estética e sistematização e storytelling para cada produto. Uma festa que contou com os clientes mais representativos, mas também com o pessoal da empresa, para terem orgulho naquilo que faziam”, relembra Ana, a neta mais velha que hoje se ocupa da gestão financeira da A. Sampaio. 

Uma prática que a terceira geração à frente da empresa se esforça por manter e incrementar. Para assinalar os 75 anos, todos os 189 colaboradores tinham à porta do dia de trabalho vários autocarros que os transportaram para um dia de convívio. “Foi um dia de festa e partilha, com almoço, muita animação, jogos e atividades de conjunto. E até uma surpresa, ao final da tarde, com a atuação do cantor Toy”, conta João Mendes, outro dos netos da equipa de administração que quer mantes a A. Sampaio & Filhos semre com os olhos no futuro.

Perfil

João Mendes, 42 anos, e Ana Furtado, 54, primos e ambos na equipa de administradores da empresa

Ana, que é a neta mais velha do avô fundador, foi a pioneira da terceira geração, estatuto que que já transmitiu à filha, Inês, 21 anos - (tem ainda a Beatriz, 26 anos, médica, e o Afonso, 18, estuda na FEP) - a primeira representante da quarta geração na empresa. Responsável pela gestão financeira, formou-se em Economia (FEP), de onde há 30 anos saltou para a empresa. João fez Gestão Industrial (Universidade de Aveiro), com tirocínio na Unicer, “que foi muito útil para o que hoje faço”. Fora da empresa, foi jogador de andebol (a sério, mesmo, no Ginásio de Sto Tirso) e toca guitarra numa banda de jazz e blues que se chama So What. Pois. E daí?

RESTAURANTE
A. Sampaio & Filhos - Têxtil, S.A.
Rua São Bento da Batalha 76 4780-547 Santo Tirso

Uma água mineral e dois cafés – Delta, lote de platina, como Miguel Mendes faz questão de sublinhar – no bar do amplo showroom instalado no primeiro andar do edifício administrativo da empresa. 

Partilhar