T77 - Novembro 22
Dois cafés & a conta

T

A Olmac em Munique: chegar, ver e vencer
De uma assentada caíram no colo nada menos que três troféus
ISPO Awards
Um pedido que foi mesmo levado a peito
A Olmac em Munique: chegar, ver e vencer

A missão tinha tudo para ser difícil - e foi. Mas a qualidade, inovação e consistência de fabrico da Olmac eram um prenúncio de vitória. Olga Jones, a quem a administração da empresa destacou para cumprir os objetivos, afirma que “É acima de tudo um motivo de grande orgulho para a equipa": a Olmac conseguiu não um, não dois, mas sim três prémios do júri dos ISPO Awards. A 'presumível implicada' explica como foi.

F
F

oi como que imbuída de espírito militar que Olga Jones abraçou na missão definida pelo administrador da Olmac. A ideia era apresentar candidaturas aos Ispo Awards, com produtos que pudessem apresentar juntos dos clientes a capacidade da empresa em termos de qualidade, inovação e consistência de fabrico. “Eu quero um caneco”, terá pedido Orlando Miranda, em jeito de incentivo.

Um pedido que foi mesmo levado a peito. Tanto que internamente o projeto para a elaboração das peças a apresentar ao concurso passou até a ter nome de missão: rumo ao caneco. O mais surpreendente é que, tendo apresentado três peças a concurso, todas acabaram por ser premiadas pelo júri. Ou seja, o administrador tinha não só o desejado caneco, como via de uma assentada caírem-lhe no colo nada menos que três troféus. 

“É acima de tudo um motivo de grande orgulho para a equipa, isto acabou por envolver toda a empresa, estamos todos de parabéns”, diz Olga Jones, visivelmente embaraçada por ter sido colocada numa posição de protagonismo que não quer assumir. “Estou cómoda no papel de atriz secundária, faço questão dde ser candidata ao Óscar de atriz secundária”, vinca, encostando-se à sua Sales Director, Amélia Antunes, e às jovens Vera Rabaça, Project Director, e Rita Gonçalves, Product Developer (todas na foto), que constituíram a equipa dedicada ao projeto. 

Depois de aceite o desafio, Olga conta que esteve uma semana a pensar, tendo as conversas ente as quatro avançado para a ideia de um conjunto de três peças que se podem articular e complementar. O objetivo era apresentar peças de inverno, com componente técnica e inovadora, obedecendo aos princípios de sustentabilidade e aos altos padrões de qualidade que caracterizam os clientes da Olmac. 

“Os clientes apreciam que haja soluções que não pensavam, são produtos que também desafiam os nossos clientes e que ao mesmo tempo criam outra ambição dentro da empresa. Os nossos clientes são de gama média-alta, isto faz também com que ganhem confiança na empresa, mostra que somos capazes de oferecer produtos que os façam diferenciar, e com isso também a disponibilidade para preços igualmente diferenciadores”, avança Olga. 

Com a três peças, a Olmac foi premiada com o Best Product na categoria T-shirts & Pullovers, com o Stubborn Polo, um polo reversível com malha da A. Sampaio, enquanto o casaco e as calças Miracle recebem o troféu Top Product nas categorias Jackets & Vests e Pants & Tights. 

“Quando recebemos a notícia estávamos num aeroporto, deu-nos um ataque de histeria, muita gente a dar-nos os parabéns mesmo não tendo a noção de que prémios eram”, ri-se Olga, garantindo que, depois da Ispo, onde serão entregues os troféus, “vai haver festa na empresa quando chegarem os ‘canecos’”. 

Há cinco anos na Olmac, Olga diz que têm sido tempos mesmo desafiantes. Com experiência anterior em empresas de agenciamento, depressa percebeu a diferença entre a confeção e a construção do produto. “Andei 25 anos a acumular experiência, achava que estava preparada, mas nunca estamos”, desabafa, dando conta ca complexidade e da exigência. “É muito mais que o produto. É toda a fábrica, o processo, os acessórios, a malha, está tudo sincronizado num único sistema”, explica, para deixar “um agradecimento e louvor à Olma por me ter ajudado a superar o desafio. Sei que não é assim em todo o lado!”

Perfil

Olga Jones
Sales Director Assistant, Olmac
Quando há 5 anos chegou à Olmac pensava que já sabia tudo sobre a têxti, mas estava, afinal, enganada. “Tem sido desafiante mas compensa”, assume a mais velha dos três filhos de um casal ligado ao sector, que trabalhou 25 anos em agenciamento depois de ter feito o curso de Design Têxtil e Vestuário. Olga, que nasceu no Porto mas já cresceu em Paços de Ferreira, diz que além do trabalho, gosta de ficar em paz em casa, na companhia dos dois gatos, Arnaldo Gustavo e Josefina. Mas também aprecia uns saltos de pára-quedas, que pratica no Aeroclube da Maia.

RESTAURANTE
Olmac – Olímpio Miranda, Lda 

Av. São Cristovão 1835

4770-088 Cabeçudos, VN Famalicão

Croissant, línguas de gato e bolos miniatura, chá de camomila e sumo de laranja, ao inicio da manhã no showroom da empresa 

Partilhar