T61 - Fevereiro 2021
Corte & costura

Júlio Magalhães

Alternativa de Sucesso
Estou a desenvolver uma linha de estojos para instrumentos musicais e não está a correr nada mal
T61 – Rita Sá

"Não há muito espaço para as novas marcas e projectos pequenos mas, como se costuma dizer, andando é que se faz o caminho", afirma Rita Sá, uma jovem designer que está a desbravar o seu caminho no mundo da moda Português

C
C

omo está a correr o desafio que a Tintex lhe lançou?

Depois da linha de acessórios, tivemos agora também um coordenado para a colecção P/V 22 que acabam de apresentar. As parcerias são sempre importantes e acabam por ser uma relação frutuosa para os dois lados. Os acessórios permitiram promover o coating, com misturas de materiais, e agora tenho também na minha colecção três peças com cores eu escolhi.

Qual é a importância que assumem hoje os acessórios numa coleção fashion?

O styling é sempre importante para se transmitir a ideia de uma coleção. Uma coisa é apenas a roupa, outra bem diferente é apresentar as peças com o complemento de acessórios. São muito importantes para compor o universo que se pretende para a coleção.

Já brilhou em vários concursos de jovens designers. Que tal está a correr a sua entrada na idade “adulta” no mundo do têxtil e da moda?

Agora é que se colocam verdadeiramente as dificuldades com o salto para as colecções comerciais, com as vendas que fazem com que a marca seja sustentável. Não há muito espaço para as novas marcas e projectos pequenos mas, como se costuma dizer, andando é que se faz o caminho.

Que importância tiveram na sua carreira os vários  prémios que ganhou?

Além do reconhecimento, o que é sempre bom, acabaram também por trazer alguma visibilidade para a marca. Tornam também mais fácil o estabelecimento de parcerias ou colaborações. Do ponto de vista pessoal proporcionaram ainda algumas viagens, designadamente em África, que me levaram ao encontro de outros contextos e que abrem horizontes para a marca.

Finalmente, a pergunta recorrente nestes tempos que atravessamos. Como está a reagir e a contornar as dificuldades trazidas por esta pandemia interminável?

Como com tudo isto as pessoas acabaram por colocar o vestuário em segundo plano, tenho-me dedicado a um outro projeto que tinha em mãos e que funciona como prolongamento da marca. Estou a desenvolver uma linha de estojos para instrumentos musicais e a verdade é que não está a correr nada mal.

Perfil

Rita Sá, 24 anos, designer, é um dos rostos mais destacados da nova geração de jovens criadores de moda. Formada na ESAD, tem coleccionado vários prémios e distinções em concursos para jovens criadores. Recentemente desenhou uma coleção de acessórios para a Tintex e está lançar raízes com marca própria. “Sou uma menina da aldeia que adora o contacto com a natureza e passear pelo monte”, o que faz sempre com o seu trio de acompanhantes. O Tico e a Branca, dois podengos aos quais de junta a Darwy, uma beagle.

Partilhar