A escolha acertada
“Apesar de inicialmente quer Escultura, em Belas Artes, acabei por optar por Design de Produto na ESAD"
Joana Cabanelas
T60 - Janeiro 2020
Emergente

Mariana d'Orey

Arte de vestir
"Quero que estes lenços tenham o meu cunho, cheios de cor e simbolismo, mas que as pessoas se identifiquem com eles"

Se fosse uma obra de arte Joana Cabanelas, 33 anos , seria, claramente, uma pintura surrealista. A cada pincelada da sua personalidade descobrimos uma nova cor, um novo sonho e várias fantasias carregadas de simbolismo. Designer de produto de formação é no encontro entre a moda, o design e a arte que melhor se expressa e a prova disso é a sua recente marca de acessórios de moda: Juux Studio

Há uma tendência natural na minha vida para embelezar tudo”, assume Joana Cabanelas, 33 anos, fundadora da Juux Studio, que conta ter crescido com a certeza de que o mundo das artes é o seu palco de atuação.

“Sou filha de um advogado e de uma professora e em casa ninguém tinha qualquer ligação ao mundo artístico. Mas recordo-me de desenhar nas paredes, inventar muitas histórias e viver num mundo de fantasia permanente”, revela a mulher que cresceu com os pais e a irmã, três anos mais velha, na zona da Foz, no Porto. Assim, e apesar de viver numa casa de “gente racional e prática”, como a própria descreve, foi sempre evidente para todos, especialmente para a sua avó materna, de quem herdou a paixão pelas artes, que o percurso de Joana passaria pelo mundo das expressões.

“Apesar de inicialmente quer Escultura, em Belas Artes, acabei por, com orientação dos meus pais, optar pela licenciatura em Design de Produto na ESAD. No 3º ano fui para Milão estudar e aprendi imenso. Depois desse ano regressei e  iniciei a minha carreira na área do mobiliário ao mesmo tempo que decidi fazer outra licenciatura, em Belas Artes em Pintura”, desvenda a  empreendedora.

Na tela da vida desta artista pode-se também encontrar os tons sofisticados do mundo do audiovisual, uma vez que teve já oportunidade de colaborar no departamento de guarda roupa e direção de arte na rodagem de duas séries televisivas. Mas há mais para contemplar nesta eclética mistura de cores e texturas que é Joana Cabanelas: depois de duas licenciaturas e de continuar a trabalhar na área do design do mobiliário, decide que “é preciso evoluir e não pode estagnar” me avança para um mestrado de Artes e Design para o Espaço Público, na Faculdade de Belas Artes.

“O mestrado permitiu-me encontrar o meu cunho, o meu lugar. Eu sou de abrir. E foi através do mestrado que me debrucei e investiguei a ideia de que a arte e o design podem instigar o quotidiano”. Depois de mais umas tantas experiências – das quais vale a pena destacar o ano a viver em Utrech, na Holanda – Joana decide que está na hora de dar um novo simbolismo à sua ainda inacabada mas já cheia de camadas tela da vida.

“Foi no ano passado que decidi que ia avançar com um projeto próprio, mas não sabia ainda o quê. Gostava de pintar mas não era pintora; gostava de moda mas não domino a confecção. Sou uma simbiose de tantas coisas que era difícil. Foi então que me lembrei de criar uma marca de lenços, um elemento tão distintivo onde a arte pode instigar o quotidiano”, revela Joana.

É assim que nasce em Novembro de 2019 a Juux Studio: lenços de materiais nobres (seda, veludo, poliéster etc.) onde são impressas pinturas de Joana.

“Não há processos fechados na minha composição artística. Quero que estes lenços tenham o meu cunho, cheios de cor e simbolismo, mas que as pessoas se identifiquem com eles e que os usem. Penso que desta forma estou a cumprir o meu propósito de tornar a arte usável no dia-a-dia”, remata Joana

Cartão Do cidadão

Família Vive sozinha Formação Licenciatura e Mestrado em Design de Produto (ESAD) e Casa Apartamento na Boavista, Porto Carro Mazda Portátil Macbook Telemóvel Huawei Hobbies Natação, equitação, ver filmes de época e documentários Férias Todos os anos faz ma temporada no Gerês, mas também é fã de viagens intercontinentais. Califórnia e São Francisco estão na sua top list Regra de Ouro “Persistir, ser resiliente e acreditar no que fazemos com um propósito”

Partilhar