07 Dezembro 21
Indústrias Criativas

T

Guimarães quer manter parceria com o Fashion Film Festival

Território têxtil por natureza, o município de Guimarães destaca também a interacção com as indústrias criativas, que o posicionam como palco natural para o FFF – Fashion Film Festival. Uma parceria que “é absolutamente vencedora” e à qual a Câmara de Guimarães quer dar continuidade.

Neste sábado, no palco onde decorreu o Guimarães Marca Fashion Festival e onde foram anunciados os vencedores da desta 8ª edição do FFF, foi pela voz do vereador da Cultura, Modernização Administrativa e Qualidade, Paulo Lopes Silva, que a autarquia quis deixar uma nota de gratidão e a clara vontade de continuação.

A par de “um forte agradecimento para a organização por continuar a escolher Guimarães”, o autarca fez também questão de, em nome da Câmara Municipal, “mostrar toda a disponibilidade para continuar a acolher esta parceria que é absolutamente vencedora e fundamental para aquelas que são as linhas de desenvolvimento de Guimarães.”

Paulo Silva destacou ainda que “foi em boa hora que o FFF se mudou para Guimarães. Quem hoje acompanha tudo o que vimos percebe que de facto não havia melhor espaço para este Fashion Film Festival ter lugar”, disse, ao mesmo empo que reforçava o propósito da autarquia de reforço da ligação ente as indústrias e o sistema de conhecimento: “Hoje celebramos algumas indústrias criativas e o cruzamento entre elas”.

Num evento que acolheu também o desfile e showcase Guimarães Marca, o vereador lembrou que “desde a sustentabilidade e da economia circular, que vimos no primeiro desfile desta tarde, até à ligação forte com a Universidade do Minho e com o conhecimento, passando pela celebração do talento, do reconhecimento dos artistas, da criatividade, da cultura, design e moda”, esse é um desígnio transversal à iniciativa.

“Quem acompanhou o evento ao longo do dia percebe que Guimarães é têxteis-lar, calçado e muito mais, mas é essencialmente por aquilo que são os nossos empresários, que tanto valor acrescentam ao território, e a capacidade que têm de criar marcas, que todos juntos conseguimos chegar mais longe. É desta unidade que conseguimos levar este marketing territorial a todo o país e a todo o mundo”, conclui o representante do município, recordando que é já no inicio do ano que Guimarães comemora dez anos como capital europeia da cultura, que teve como mote precisamente as industrias criativas.

Partilhar