T21 Junho 2017
Serviço Especializado

The state of the art

É a empresa número um no mundo ao nível das tecnológicas integradas para as indústrias que utilizam tecidos, pele, têxteis técnicos e materiais compósitos. Já está há 31 anos em Portugal, tem acompanhado os altos e baixos do setor têxtil e ajudado muitas empresas a entrar com o pé direito na indústria 4.0.

Carolina Guimarães

O mundo só começa agora a ouvir falar sobre a indústria 4.0 – mas no glossário da Lectra já há muito que este conceito era conhecido. A inovação é um dos pilares da empresa, que só nos últimos 10 anos investiu 190 milhões de euros em busca de novas soluções.

Criada em 1973, em Bordéus, a Lectra oferecia soluções para clientes do segmento do vestuário de luxo, ao nível da digitalização e graduação de moldes. 13 anos depois veio para Portugal, atrás do sector têxtil que parecia nunca mais parar de crescer – e desde aí tem acompanhado os seus altos e baixos, andando sempre de braço dado com as necessidades do mercado e de olho no futuro. Hoje em dia, como explica Rodrigo Siza, managing director da empresa em Portugal, a “Lectra está presente desde o nascimento da ideia do produto até ao momento da peça cortada”,– passando por isso nas fases do design, da engenharia do produto e do corte, que se materializam em maquinaria e software de ponta.

Com o passar dos anos o core original do negócio acabou por evoluir para outros ramos, tais como o sector automóvel, do mobiliário ou da aeronáutica. Mas tal não impediu que a crise, que se instalou em 2009, não abalasse as estruturas da Lectra, que na altura criou um plano estratégico que pretendia, numa primeira etapa, construir as bases para garantir uma empresa reforçada no pós-crise e, numa segunda fase, atingir o seu potencial de crescimento, focalizada em clientes alinhados e em projectos de maior dimensão.

Agora, cumpridos – com sucesso – todos os objectivos a que se tinham proposto, a Lectra tem um novo plano em mãos, com vista ao crescimento. “O mundo mudou e as empresas agora não estão só preocupadas em sobreviver – estão viradas para o futuro”, explica Rodrigo.

As conceituadas soluções de sala de corte disponibilizadas pela Lectra são só um dos exemplos de que a empresa, que já há 10 anos que é pioneira na indústria 4.0, procura estar sempre “no estado da arte”. Estas máquinas estão equipadas com softwares que comunicam aos call centers caso haja uma potencial avaria ou a produção seja abaixo do expectável, havendo por isso uma monitorização constante dos equipamentos para uma melhor eficácia.

A Lectra está também presente em várias escolas e faculdades ligadas à moda e à engenharia, proporcionando aos alunos a possibilidade de já trabalharem nos softwares da empresa. Worshops e palestras também fazem parte da oferta que disponibilizam aos trabalhadores do futuro, fazendo com que estes já estejam familiarizados com os seus serviços.

Os serviços são, aliás, a palavra de ordem para o futuro desta empresa. À distância ou localmente, ao nível do ensino ou da consultadoria, esta é uma das valências que a Lectra quer dar mais ênfase a médio prazo: “Os nossos valores passam a assentar não só na tecnologia e serviços mas também na optimização do uso que se dá aos dados”, refere Rodrigo Siza.

O Serviço

Lectra
Av. Antunes Guimarães 521
Leça da Palmeira

Serviços Soluções de tecnologia integrada em indústrias que incorporam materiais flexíveis Volume de negócios global 260 milhões de euros Volume de negócios em Portugal 10 milhões Funcionários em Portugal 23 Delegações Leça da Palmeira, Lisboa e Guarda Indústrias Têxtil, automóvel, mobiliário, aeronáutica, têxteis técnicos

 

Partilhar