T64 - Julho/Agosto
Produto

O TNT da Trim NW que faz barreira aos vírus

Intitulado InovPNT, o projeto focou-se no desenvolvimento de “soluções poliméricas com materiais antimicrobianos e orientados para a produção de tecidos não tecidos (TNT)”, como explica Lúcia Rodrigues. O objetivo é responder à pandemia e, a longo prazo, a outras questões de saúde pública

T

A situação atual, consequência da Covid-19, veio reforçar a necessidade, principalmente em grupos de risco como profissionais de saúde, de acesso a materiais e componentes com um efeito de barreira melhorado contra os agentes infeciosos.  

A Trim NW juntou-se ao CITEVE e ao Polo de Inovação em Engenharia de Polímeros (PIEP) da UMinho para assim dar forma a substratos têxteis com propriedades antimicrobianas, antivíricas e com permeabilidade melhoradas.

Intitulado InovPNT, o projeto foi lançado em junho do ano passado e ao longo de dez meses focou-se no desenvolvimento de “soluções poliméricas com materiais antimicrobianos e orientados para a produção de tecidos não tecidos (TNT)”, como explica Lúcia Rodrigues. O objetivo é responder à pandemia e, a longo prazo, a outras questões de saúde pública ou metodologias terapêuticas especificas. 

Tal como acrescenta a investigadora do CITEVE, “a Trim NW na fase de Covid foi uma das empresas que desenvolveu tecidos não tecidos orientados para a proteção na área médica e a ideia era conferir a esses materiais propriedades adicionais, ou seja, que vão além da proteção segundo as normas.”

A fase inicial do projeto foi desenvolvida pelo PIEP, “onde foi realizado todo o desenvolvimento de materiais termoplásticos funcionais e antimicrobianos com a incorporação de aditivos de base prata e óxidos de cobre nas matrizes poliméricas escolhidas através de uma extrusora de composição”, detalha Ana Costa,  gestora de projetos da área de composição e materiais avançados do PIEP

De seguida,  estes materiais foram sujeitos a testes antibacterianos de modo a comprovar o seu efeito, um segunda etapa, explica ainda Ana Costa, onde  “a Trim NW usou o processo Thermalbond, para a consolidação de fibras de poliéster ou polipropileno no fabrico do TNT com aplicação direta do material termoplástico funcional no seu fabrico”. 

Importante sublinhar que “toda estas amostras de TNT funcionais e eficientes apresentaram atividade antimicrobiana e antibacteriana de acordo com as normas ASTM 2149 e ISO 18184:2019 e cumpriram com as especificações da norma EN 13795-1:2019”. Por fim, foi desenvolvido um protótipo demonstrador da tecnologia desenvolvida, num formato de roupa cirúrgica. 

Rui Lopes, administrador da Trim NW, recorda que “houve vários ensaios e produtos que não se conseguiu produzir à primeira”, mas que depois acabaram por ser bem sucedidos. Ensaios não só em Portugal, “mas também fora do país em laboratórios que garantiam conseguir detetar se o produto ficava efetivamente antibacteriano e antiviral”, tendo o CITEVE tido também um papel ativo na validação dos resultados. 

O projeto encontra-se agora em fase de finalização: “Em termos de desenvolvimento, da nossa parte ficou concluído em abril, mas só recentemente recebemos resultados do laboratório a aprovar o antiviral, já tínhamos o antibacteriano e, por isso, estamos a preparar-nos para iniciar a comercialização do produto”, explica Rui Lopes.  

Para o consórcio é clara a satisfação com os resultados obtidos pelo projecto, e afirmam ter cumprido com todos os objetivos iniciais, desenvolvendo algo inovador e que poderá ajudar principalmente os grupos de risco como profissionais de saúde, idosos e pessoas com patologias crónicas. 

O Produto

A Trim NW juntou-se ao CITEVE e ao Polo de Inovação em Engenharia de Polímeros (PIEP) da UMinho para assim dar forma a substratos têxteis com propriedades antimicrobianas, antivíricas e com permeabilidade melhoradas.

O que é? Um projeto centrado em desenvolver substratos têxteis capazes de se transformarem futuramente em EPI com propriedades antibacterianas e antivíricas, com capacidade de resposta a vários agentes patogênicos Produtos Batas e cobre sapatos Principal contributo Direcionado para ambiente hospitalar, de clinica ou residências seniores Estado do Projeto Em fase de aprovação e de entrada no mercado 

Partilhar