19 outubro 21
Feiras

T

Têxtil From Portugal em força na JITAC, à conquista do Japão

Um numeroso contingente de 14 empresas (Adalberto, Albano Morgado, Burel Factory, Fitecom, Lemar, Le Europe/La Estampa, Lurdes Sampaio, Paulo de Oliveira, Riopele, RDD, Troficolor, Tessimax, Texser e Vilarinho) estará a participar de amanhã, 20 de outubro, e até sexta-feira, na JITAC – European Textile Fair, em Tóquio, Japão. Uma forte demonstração From Portugal da retoma no têxtil nacional e para dar a conhecer o melhor da sua produção.

As coleções outono-inverno 22/23 da comitiva From Portugal estarão assim em destaque numa feira que pretende ser uma montra da produção europeia para o importante mercado asiático – de difícil penetração, mas capaz de gerar negócios por muitos anos.

Entre as empresas presentes está a Adalberto, que pretende “alargar a participação no mercado japonês”, segundo diz Tâmara Martins, do Departamento de Vendas, esperando “algum retorno dos negócios com o sentimento de otimismo que temos vindo a sentir em outras feiras em que participámos este ano. Entretanto, como o Japão continua fechado para visitantes de muitos países, estamos conscientes de que ainda não será o melhor cenário”, acrescenta.

Presença habitual na feira japonesa é a da Lemar, que procura assim “consolidar a presença neste mercado”. “Apesar de as edições anteriores terem estado sob o espectro pandémico, os objetivos definidos têm sido atingidos. “Esperamos que a retoma nos traga novos desafios libertando um mercado já por si muito seletivo”, considera José António Ferreira, gestor de mercado da Lemar que apresentará uma nova gama de tecidos biodegradáveis e reciclados.

Quem se estreia nesta edição da JITAC é a empresa Lurdes Sampaio, que, de acordo com Maria Sá, acredita numa “retoma positiva”. “Os mercados estão movimentados, os clientes estão muito ativos, estamos muito confiantes”, revela a Managing Director da empresa, que apresentará no Japão novidades ao nível da sustentabilidade.

Já a Texser, que participa na JITAC há cerca de seis edições consecutivas, acredita que este é um mercado onde “os produtos de valor acrescentado com qualidade” são muito valorizados. “Neste Inverno apresentamos uma coleção de algodão e lã, orgânicos crus ou tinto em fio, apontamentos de fios torcidos gadarela e os mescalos”, revela Maria Carla Pimenta na expectativa de fazer bons negócios na feira japonesa.

Quem também está confiante é a Fitecom que, nas palavras de João Carvalho, CEO da empresa considera que a “JITAC é um bom canal de entrada no mercado Japonês, tornando possível o contacto em três dias com um grande número de clientes que de outra forma seria muito difícil”. Para além das composições fibrosas tradicionais, a Fitecom apresentará fibras recicladas, lãs naturais e lãs com certificação ecológica e ainda os laminados.

A participar pela 17ª edição, a Troficolor considera que a presença na JITAC “é peça fundamental na nossa ligação com este mercado”. Ana Maria Magalhães, Export Sales Manager da empresa lembra que o “feedback foi sempre positivo, os clientes aderem à feira e os nossos produtos têm boa aceitação! Foram estabelecidos contactos muito interessantes e acima de tudo a confiança com os nossos clientes saiu fortalecida. Este é um aspeto importantíssimo nas relações comerciais com o mercado nipónico”.

É com a crença de que o seu produto “atende ao mercado asiático de forma abrangente” que a Le Europe/La Estampa regressa à feira têxtil japonesa. “Estamos à procura de agentes neste mercado e também clientes finais”, revela Ana Rita, da Satinskin, empresa detentora da Le Europe/La Estampa. “Vamos apresentar uma nova forma de trabalhar neste “novo normal”, uma forma mais sustentável e online através da nossa plataforma digital Match”, diz.

A participação das PME portuguesas na JITAC é uma iniciativa da Selectiva Moda e da ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, no âmbito do projeto From Portugal, que visa promover a internacionalização das empresas portuguesas da área da Moda. O projeto é co-financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Compete 2020 – Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Partilhar