T65 - Setembro
Produto

Os EPI reutilizáveis e amigos do ambiente

A Tintex juntou-se à Coltec, Pafil e CITEVE para dar forma a estruturas têxteis laminadas, impermeáveis, respiráveis e com barreira às bactérias e vírus, para ambientes hospitalares, clínicos, ou outros com risco associado, o projeto foi intitulado de Covitec4Life.

T

A sustentabilidade não é incompatível com o contexto de pandemia e o pode até funcionar como um incentivo, como acontece com o objetivo de substituir os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) descartáveis por opções laváveis e reutilizáveis e igualmente seguras. 

Foi com esse propósito que a Tintex se juntou à Coltec, Pafil e CITEVE, para dar forma a estruturas têxteis laminadas, impermeáveis, respiráveis e com barreira às bactérias e vírus, para ambientes hospitalares, clínicos, ou outros com risco associado. 

Apelidado de Covitec4Life, o projeto teve início em junho de 2020 e durante nove meses focou-se em desenvolver duas linhas de I&D, como explica Augusta Silva, gestora de inovação de estamparia e coating do CITEVE. Uma primeira de “aditivos, formulações e processos de revestimentos têxteis poliméricos de base aquosa de elevado desempenho na proteção a líquidos e agentes infeciosos”, a cargo da Tintex, e a segunda orientada para “membranas e processos hotmelt de laminação impermeáveis e respiráveis, que recorre a soluções 100% poliméricas, sem necessidade de secagem nem fixação”. 

Esta última, da responsabilidade da Coltec, tem um impacto ambiental baixo, pois a tecnologia de hotmelt não gera desperdícios, como explica o responsável técnico da empresa, Francisco Fernandes. “Fazemos a união de dois substratos têxteis com membranas e filmes através de adesivos hotmelt, que as nossas tecnologias colocam-no no estado líquido. Após um determinado tempo e sob uma temperatura controlada fica inerte, só gasta energia, não há qualquer desperdício de água”, assegura. 

O projeto foi particularmente desafiante pelas condições de esterilização agressivas das lavagens industriais. Pedro Magalhães, responsável de inovação da Tintex, líder promotora do projeto, explica que “já trabalhávamos produtos que numa primeira fase sabíamos que respeitavam os requisitos, mas respeitar 20 lavagens com uma temperatura de 65 grau com um ph de 11 e a utilizar compostos agressivos foi um desafio”, enquanto, refere Augusta Silva, do CITEVE, “o ph dos banhos, extremamente alcalino fragilizava os coatings, as membranas e os filmes”. 

Superada a prova as lavagens, foi a vez da Pafil entrar em ação e desenvolver as batas, cover-all, perneiras e outros produtos. Aqui temos novamente duas soluções: o tradicional poliéster e outra de lyocell. 

A par da reutilização, com as consequentes vantagens ecinómicas de de sustentabilidade, as peças têm também um formato mais ergonómico e confortável, possível de ser personalizado a gosto. Uma vez com os protótipos desenvolvidos, recolheram-se opiniões junto dos profissionais do Hospital do Tâmega e Sousa, que João Rui Pereira, CEO da Pafil, diz terem sido bastante positivas quanto à mobilidade e leveza.

Em paralelo, e como uma segurança extra, o CITEVE desenvolveu uma espécie de etiqueta inteligente para garantir que as lavagens são efeituadas corretamente. “Fizemos um sistema de coloração micro-encapsulado em que os agentes incorporados reagem em contacto com determinado ph, o sistema liberta a cor, mas só ocorre quando em contacto com o banho nas condições ideais”, destaca Augusta Silva, gestora técnica do projeto. 

O Produto

O objetivo do Covitex4Life é substituir os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) descartáveis por opções laváveis e reutilizáveis e igualmente seguras.

O que é? Um projeto focado em desenvolver dispositivos médicos reutilizáveis, resistentes a 20 ciclos de lavagem industrial mantendo inalteradas as propriedades do produto Produtos Batas, cover-all, manguitos e perneiras Principal contributo Disponibilizar soluções amigas do ambiente e a prazo mais económicas Estado do Projeto Concluído, em fase de estabelecimento de contactos.

Partilhar