T 22-23 Julho-Agosto
Dois cafés & a conta

Jorge Fiel

ANJE
A grande paixão de Adelino Matos é o empreendedorismo
ASM
É o mais novo dos três filhos de Adelino Silva Matos, que fundou o grupo metalomecânico A. Silva Matos
Adelino Matos

Nasceu em Sever de Vouga, sendo o mais novo dos três filhos de Adelino Silva Matos, que fundou um poderoso grupo metalomecânico (A. Silva Matos) e que fatura 55 milhões de euros. No entanto, é no empreendedorismo que Adelino Matos encontra a sua grande paixão

Temos de nos sentir orgulhosos, porque somos bons naquilo que fazemos. Batemo-nos com qualquer um na Europa. Já acabou o tempo em que nos sentíamos todos uns coitadinhos…”, declara Adelino Matos, um jovem (acaba de completar a idade mínima para se poder candidatar a PR) com as ideias bem arrumadas.

“Não somos um low-cost country. Temos de nos posicionar como um best cost country”, acrescenta o 60º presidente da ANJE, associação a que aderiu no final do curso, atraído pelas ideias arrojadas que ventilava sobre o empreendedorismo jovem.

O empreendedorismo é a grande paixão de Adelino, que entrou pela primeira vez na Casa do Farol há quatro anos e debutou no dirigismo associativo na direção presidida por João Rafael Koehler.

Adelino começou a trabalhar em 2004, como estagiário, a ganhar o salário mínimo, na A. Silva Matos, à época só focada na produção de tanques de gás e equipamentos especiais para Petróleo e Gás, mas três anos volvidos já a empreender, diversificando a atividade e investindo nas energias renováveis.

Este movimento acabou por dar origem à área de negócios controlada e liderada por Adelino, a ASM Industries, um dos poucos fabricantes europeus com capacidade para fabricar torres e fundações eólicas até três mil toneladas.

A ASM Industries atravessa uma fase de investimento intensivo e crescimento trepidante. O ano passado investiu cinco milhões de euros, aumentando em 40% a capacidade instalada. Em Setembro entra em operação uma fábrica em Setúbal, que fabricará torres para offshore, ficando concentrada em Sever de Vouga a produção das onshore.

Este ano vai fazer um volume de negócios na ordem dos 15 milhões, mas as encomendas em carteira permitem-lhe projetar um faturação de 50 milhões para 2020.

Ser presidente da ANJE rouba-lhe mais horas do que previa, mas ele não se queixa, pois gosta do que está a fazer – e apesar de estar há apenas seis meses no lugar já podia gabar-se dos resultados.

Reforçar o peso institucional da ANJE, como parceiro social privilegiado das entidades públicas, era um dos pontos do seu programa, cujo cumprimento parece confirmado pela presença no último Portugal Fashion do PR Marcelo, PM Costa, ministro Caldeira Cabral e secretários de Estado Nelson de Sousa e João Vasconcelos. Mas a menina dos olhos de Adelino é o empreendedorismo.

“O empreendedorismo tem estado adormecido”, diz o presidente da ANJE, que escolheu almoçarmos no Wish (que se transformou na sua cantina portuense, dada a proximidade da sede da ANJE) onde pediu duas entradas (salmão e ceviche) a fazer as vezes de prato principal.

Encantado com a reivenção da ITV – “A fileira da moda foi exemplar na forma como resistiu a uma mudança drástica do contexto internacional” – está empenhado em catequizar os criadores, convertendo-os à religião do empreendedorismo.

“Não basta dar-lhes visibilidade. Temos de lhes dar as ferramentas para que além de bons designers sejam bons empreendedores. Queremos potenciar as suas competências. E a nossa parceria no Portugal Fashion com a ATP vai ajudar-nos a aprofundar a interligação entre a moda e a indústria”, conclui.

Perfil

Nasceu em Sever de Vouga, sendo o mais novo dos três filhos de Adelino Silva Matos, que fundou um poderoso grupo metalomecânico (A. Silva Matos) que fatura 55 milhões de euros. Tal como o pai, a irmã Cláudia (engenheira mecânica), e o irmão Pedro (engenheiro eletrotécnico), começou por estudar Engenharia (de Gestão e Industrial), tendo escolhido a Universidade de Aveiro. Quando chegou ao 3º ano, desencantou-se com o curso, por causa de umas cadeiras de cerâmica, e mudou para Gestão, onde se licenciou - e teve como professor Manuel Fernandes Tomás, o 2º presidente da ANJE . “A mudança permitiu-me acumular o pragmatismo da Engenharia com a abrangência da Gestão”, diz em jeito de balanço, sobre a sua formação, completada com pós-graduações em Energias Renováveis e Gestão Estratégica, na Católica, e em Finanças para Executivos, no Insead. Vive em Aveiro, com a mulher e dois filhos (Madalena, três anos, e Manuel, um ano)

RESTAURANTE
Partilhar